Eu♥Entrevistas: Christian David

Bom dia! Já faz um bom tempo que eu quero realizar essa entrevista, mas houve alguns contratempos que me impediram de formular perguntas e ter maior interação com o blog, mas cá estou eu novamente. A saudade é grande. Não se acanhem, peguem uma xícara de café, acomodem-se diante do computador e curtam a entrevista de hoje, o Christian David é super simpático.

Formado em Ciências Biológicas com ênfase em Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 2007, juntamente com outros escritores, professores e amantes da literatura, foi fundador da Confraria Reinações: Confraria da Leitura de Textos Infantis e Juvenis. Também é vice-presidente administrativo da Associação Gaúcha de Escritores. Associado da AEILIJ – Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantojuvenil. É um dos organizadores da Odisseia de Literatura Fantástica. Tem participado de mesas-redondas abordando a literatura infantojuvenil e de encontros com alunos em escolas do Rio Grande do Sul.

É uma honra tê-lo como autor parceiro, especialmente porque eu sou uma daquelas pessoas que admira muito quem é capaz de escrever uma boa história infantojuvenil. Ainda mais um infantojuvenil que seja para as crianças e jovens de todas as idades, coisa que o Christian faz com maestria. Esse tipo de literatura pra mim é fundamental, ainda mais atualmente quando a maior parte das crianças fica dispersa em meio a tanta parafernalha tecnológica. É preciso talento e muita criatividade para conquistar os pequenos, coisa que "O Rei e o Camaleão" faz com facilidade. Pelo menos fez comigo. Agora deixo vocês com a entrevista.


EuLivros: A vida costuma dar muitas voltas, numa delas acabamos nos deparando com o mundo da leitura e da escrita. Como foi que surgiu essa paixão pelas letras e a vontade de escrever?
 
C.D.: Eu sempre li muito, muitas histórias em quadrinhos quando criança e muita ficção científica e fantasia quando adolescente. Acho que nascer em uma casa de leitores foi fundamental para isso, sempre tive incentivo pra ler. Chegou o momento em que algumas histórias começaram a brotar, então fiz a mim mesmo o desafio de escrever uma dessas histórias, colocá-la no papel com começo, meio e fim. Devido a boa receptividade dos meus escritos me animei e não parei mais.
 
EuLivros: O Rei e o Camaleão” é um livro que tem como público alvo os jovens e as crianças, diga-nos, é diferente escrever com foco nesse tipo de leitor? O que muda para você?
 
C.D.: Acredito que depende muito da história que se quer contar, não faço tudo tão planejado a ponto de saber sempre para qual público estou escrevendo, deixo a escrita fluir e depois vejo para qual público a narrativa é apropriada. E acho isso também relativo, um bom livro não tem idade, pode ser lido e apreciado por qualquer um que goste de literatura, mas acho que o que muda não são os temas e sim a forma de tratamento dos mesmos, é preciso sensibildade e não procurar dar lições ao escrever para o público juvenil ou infantil.
 
EuLivros: Sempre teve o apoio da família e amigos na hora de começar a escrever? Conta para nós qual foi a sua primeira história?
 
C.D.: Felizmente sempre tive apoio, se não explícito pelo menos apoio para alcançar minhas metas pessoais. Mas resolvi encarar uma tentativa de publicação (O rei e o camaleão) porque uma amiga, Ecilda Barros, me incentivou muito e me apresentou a possibilidade através do FUMPROARTE (um fundo municipal obtido através de concurso), acho que ela acrediiou mais em mim do que eu mesmo daquela vez.
 
EuLivros: A literatura brasileira, como a maioria conhece, - de certa forma - ainda é atrelada as obras do passado, o que você acha que deveria ser feito para que as novas obras e os novos autores tenham a oportunidade de mostrar seu talento?
 
C.D.: Como em tudo precisamos de pessoas apaixonadas por literatura para mudar esse quadro tanto na escola quanto em casa. Um professor apaixonado contamina seus alunos com esse desejo de ler e conhecer autores novos. Mas também há que se ter postura crítica ao selecionar as boas obras, novas ou antigas, textos de todas as qualidades são publicados e não se pode ser condescendente com o que não tem qualidade.
 
EuLivros: Antologias são sempre interessantes porque é uma das maneiras que o leitor pode ter acesso a vários pedacinhos de diferentes escritores. Muitas vezes acaba funcionando como porta de entrada para outros títulos que o autor possui. Você participou de algumas antologias esse ano que passou, não é? Fala um pouco sobre elas pra gente e conta como foi participar da coletânea.
 
C.D.: A longo dos útimos três anos tenho participado de diversas antologias e é, realmente, um bom início para os que estão começando a escrever. Este ano participei de duas: Caminhos Fantásticos, pela Editora Jambô e Passado Imperfeito, pela Editora Argonautas. São duas belas antologias das quais participei como convidado. As duas editoras fizeram um belo trabalho gráfico e os livros ficaram bem bonitos. Fico feliz que algumas editoras tem lembrado de mim como convidado para antologias, mais no início da carreira ralei bastante participando de seleções, o que ainda faço quando acho que a antologia ou a editora valem a pena.
 
EuLivros: O mercado literário ainda é um pouco difícil de entrar, especialmente aqui no Brasil em que o gosto pela leitura ainda não está completamente enraizado na mente dos brasileiros. Como foi a sua experiência ao lançar seu primeiro livro? Encontrou muitas dificuldades?
 
C.D.: Realmente não é fácil entrar no mercado e eu poderia atribuir ao acaso ou a sorte eu ter conseguido lançar meu primeiro livro, mas como sou uma pessoa religiosa atribuo a facilidade com que entrei no mercado à uma benção divina. É serio, lançar o primeiro e até o segundo livro foram procesos realativamente tranquilos, a partir daí é que a coisa dificultou um pouco e passei alguns anos batalhando muito e participando de antologias, felizmente agora tenho várias publicações solo para esse e para os próximos anos já acertadas com boas editoras. O segredo é não desistir e circular bastante nos meios literários, além de trabalhar arduamente nos textos, é claro.
 
EuLivros: O que podemos esperar mais para a frente?  Conta sobre seus projetos futuros.
 
C.D.: Esse ano ainda publico dois livros infantis, Sangue de Barata pela Paulinas, e A menina que sonhava com os pés, pela Biruta/Gaivota, até a feira do livro aqui de Porto Alegre os dois já vão estar circulando. Além disso participo de mais uma antologia pela Argonautas, Autores Fantásticos, antologia que vai misturar criadores e criaturas. Para 2013 participo de mais duas antologias, uma delas da Editora Estronho, e publico dois livros juvenis, um que se chama O Centauro Guardião, pela Biruta, e o outro será um livro reunindo meus contos, tanto os já publicados em antologias como vários inéditos.
 
Para saber mais sobre as futuras obras do Christian, dá uma olhada no blog ou no site dele:
e

Christian, muito obrigada por ceder alguns minutos do seu tempo para responder essa entrevista para o blog. Mal podemos esperar para o lançamento dos seus futuros projetos. 

Em breve mais entrevistas, postagens e resenhas! Fiquem ligados! ;)

Xoxo,

Julliana Passos.

3 comentários:

Christian David disse...

Valeu, Julliana! Gostei muito de conversar contigo. Abraço!
Christian

Julliana disse...

Obrigada, Christian!

É sempre um prazer tê-lo aqui no blog.

Larissa disse...

Adorei a entrevista, esse Christian parece ser bem legal! Parabéns pela parceria, frôr! rs.

Postar um comentário

- Agradecemos a leitura do post e adoraríamos saber a sua opinião.
- Responderemos o seu comentário aqui mesmo.
- Comentários ofensivos/preconceituosos serão deletados.

 
Eu ♥ Livros © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top