Vida de Otome: NANA



Olá, queridos leitores! Hoje estou aqui para falar de um mangá que é fenômeno mundial, e é sucesso garantido entre as garotas. NANA!

A história parece começar de uma forma bem simples, duas garotas se encontram no trem com destino a Tóquio, e descobrem que possuem o mesmo nome, Nana. Mas não é tão simples assim, já aconselho para as garotas que, se estiverem na TPM, não leiam. É choro na certa!

Nana Komatsu e Nana Oosaki

Nana Komatsu decide viajar para Tóquio porque quer se tornar mais independente e morar com seu namorado, Shouji. É super supersticiosa e acredita que tudo de ruim na sua vida é obra do Deus do Mal, além de ser uma fã alucinada da banda Trapnest, principalmente pelo baixista Takumi. Shouji diz para Nana que ela deveria morar sozinha, então Nana vai procurar um apartamento para alugar, e é na visita ao apartamento que ela encontra a garota que conheceu no trem e divide o mesmo nome que ela, então elas decidem dividir o aluguel e morar juntas.

Agora, para não confundir vocês, vou me referir a Nana Komatsu como Hachi, que é o apelido que a outra Nana dá a ela.

Nana Oosaki é o oposto de Hachi. Enquanto a Hachi é toda meiga e feminina, Nana é uma garota punk e cheia de atitude. É vocalista da banda Black Stones (abreviada para Blast) e quer, a todo custo, superar a banda Trapnest. É claro que tem um motivo por trás disso. No passado, Nana namorava Ren, que fazia parte do Blast, mas ele decide ir embora para tocar no Trapnest e Nana, por orgulho, não vai com ele.

Já temos as personagens centrais da história, pois tudo que vai acontecer agora gira em torno dessas duas. Somos apresentados aos amigos de Nana e membros do Blast, que são muito importantes para a história e seu desenvolvimento, sendo tudo muito bem entrelaçado.

Aqui temos Yasu, Hachi, Shin, Nana e Nobuo


Nobuo Terashima: É o guitarrista do Blast e decide vir para Tóquio trabalhar e ajudar a Nana, apesar de ser de uma família rica do interior. É muito gentil e, aos poucos, vai se apaixonando pela Hachi. Também é autor de uma das frases mais bonitas da série, mas nada de spoilers por aqui.

Yasushi Takagi: conhecido como Yasu, é o pilar do Blast, pois ele sempre está lá pra ouvir os problemas dos membros da banda. Baterista, está sempre de terno porque trabalha como advogado.

Okazaki Shinichi: Shin se tornou baixista do Blast, após fazer um teste para ver quem ocuparia o lugar de Ren. É muito novo e bonito e, apesar da pouca idade, é garoto de programa.

Um dia, a Hachi convida Nana para ir num show do Trapnest em sua terra natal, sem saber do passado de Nana com Ren. A princípio, Nana se nega a ir, mas com a Hachi descobrindo a verdade e querendo levar Nana a todo custo, ela acaba aceitando. E o que esperar de um reencontro com um amor mal resolvido? Nana e Ren ficam juntos e, assim, começamos a ter os membros do Trapnest introduzidos mais detalhadamente à trama:

Takumi, Ren, Naoki e Reira


Ren Honjo: Guitarrista do Trapnest e apaixonado pela Nana. É viciado em drogas e foi inspirado no Sid Vicious do Sex Pistols.

Takumi Ichinose: É o baixista e líder da banda. Mulherengo e cabeça quente, apesar de ser muito dedicado ao trabalho na banda. Acaba se envolvendo com a Hachi e, comentário desnecessário, é LINDO!

Naoki Fujieda: Baterista da banda, quis se tornar músico para conquistar as garotas. Estudou com Yasu e Takumi no ensino médio.

Reira Serizawa: Com uma voz tão bonita quanto ela mesma, é a vocalista da banda. É apaixonada pelo Takumi, mas nunca foi correspondida. Acaba contratando os serviços do Shin como garoto de programa. Também é ex-namorada do Yasu.

Como eu disse, apesar da história ser centralizada nas Nanas, é tudo muito bem entrelaçado. Você começa a ler e não quer parar mais, mas, como tudo na vida tem um defeito, Nana também tem um: por motivos de saúde da autora, Ai Yazawa, o mangá parou de ser publicado e não sabemos quando, ou se, voltará. E foi numa parte bem crítica, que pode te fazer chorar horrores.

Outros fatos sobre o mangá que vocês precisam saber: Nana significa sete em japonês, e o apelido Hachi, que significa oito, vem do nome Hachiko, aquele cachorro da raça akita que sempre esperava o dono na estação, mesmo depois dele ter morrido. A Nana também adora Vivienne Westwood (e quem não?), e aparece usando várias roupas da marca. Black Stones é uma marca de cigarros, que também aparecem bastante no mangá.

E é isso, também tem o anime para quem quiser ver, com uma trilha sonora muito boa. As cantoras Anna e Olivia, que dão as vozes da Nana e Reira, respectivamente, cantam muito bem. Eu aconselho a escutarem Kuroi Namida da Anna e Wish da Olivia. 

E já ia esquecendo, também tem dois filmes live actions e, comentário desnecessário², o Takumi é LINDO!

Beijos e até a próxima, espero que tenham gostado!

4 comentários:

Alice Aguiar disse...

eu chorei lendo isso hasuhuashu sério
pode ser exagero, mas sempre achei que estivesse lendo sobre minha vida.
quando eu li os mangás chorei em todos
e qando vi o anime entao
aiai

Mariana Cardoso disse...

No começo eu não chorava, só ficava beeeem aflita. Mas nos últimos capítulos, sei lá, desembestei a chorar e não parei mais. Quase chorei em dobro quando vi o hiatus ):

Juliana disse...

Olá tudo bem?
Estou passando aqui para avisar-lhe que tem um selo para você em meu blog, o link é http://ser-escritora.blogspot.com.br/2012/11/selo-premio-dardos.html

Beijooos,

Juliana Rodrigues,
http://ser-escritora.blogspot.com.br/

Francyelly Moura disse...

Eu não sabia que dava pra chorar com animes...rs
A história é muito interessante, só que eu não tenho paciência pra ler ou ver animes, sei lá porque =S

Bom, estou seguindo!
Segue de volta?

Beijão
http://livrosebatons.blogspot.com.br

Postar um comentário

- Agradecemos a leitura do post e adoraríamos saber a sua opinião.
- Responderemos o seu comentário aqui mesmo.
- Comentários ofensivos/preconceituosos serão deletados.

 
Eu ♥ Livros © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top