Eu ♥ Tapa na Cara #2

Irmãs e irmãos de monstruosidade, como estão? Não respodam, o mundo não se importa. 

Já faz um bom tempo desde o primeiro Eu ♥ Tapa na Cara, né? Eu sei, amigos, eu sei. E realmente entendo a dor de vocês, afinal, quem não adora uma boa polêmica? Eu adoro, na verdade, eu amo, ainda mais quando sou eu a satanizar. Passei uns bons dias pesquisando sobre o tema a ser exorcizado de hoje, muitos segundos no google, vocês entendem, para melhor poder me expressar aqui. E vale ressaltar: 
O Eu ♥ Tapa na Cara é uma  coluna do Eu ♥ Livros onde eu, Ren, falarei sobre as putarias e puta falta de sacanagem do mundo literário para os pobres e tolinhos autores e leitores. Prometo não ferir ninguém. Prometo, apenas prometo, como um político.

Então, amorecos, quem está ansioso para ver qual divindade da massa eu jogarei pedras? Antes de qualquer coisa, recomendo a leitura do primeiro Tapa na Cara, onde eu falei da puta falta de sacanagem da famosíssima editora Rocco. Confira a putaria aqui e não esqueça de comentar - a anta aqui mudou o sistema de comentários e todos foram perdidos, triste triste.

 Mas vamos conhecer o tema de hoje? 

Agentes/Agências Literárias. 

Se você é um escritor novato, um NAN da vida ou sei lá, meu pai, deve saber o que é um agente/agência literária. Mas caso não saiba, darei um breve resumo sobre essa arte milenar, ehe. 
Agente literário é o profissional do mercado editorial que presta serviços de suporte jurídico e administrativo para escritores. Isso significa cuidar da negociação de cessões, contratos e administração de direitos autorais. É trabalhando dessa forma que este profissional deixa ao autor mais tempo para se dedicar a seu ofício específico e aos projetos que está desenvolvendo
(via Agente Literário Ralph - ele existe)

Ou seja, Agentes Literários são pesssoas dispostas a pegar x valor do que você mal ganha para te apresentar a editoras, divulgar a sua obra, queimar calcinhas etc. Eles fazem leitura fodidamente crítica da sua obra, o bastante para fazer você chorar por dias e/ou deletar tudo que escreveu só porque uma pessoa não gostou. Entenderam? 

Há dois tipos de agentes literários: os que jogam a sério e os charlatões.

Se isso ainda não ficou claro, eu não sou muito afim de agentes, não. A maioria das coisas que eles fazem para te promover ou promover a sua obra, você pode e deve, porra, fazer sozinho e não gastar o seu mísero dinheiro. Ainda mais quando o seu mísero é x valor do y% que você receberá por direitos autorais da publicação.

A única coisa que eu acho legal neles é a leitura crítica. Todo e qualquer livro a ser publicado deve receber uma leitura crítica. Se você não sabe o que é, dê uma lida:
Analisamos a obra já escrita, ou seja, a mesma passará por uma avaliação de um profissional e fornecemos um relatório de leitura crítica sobre o texto, serão observadas as técnicas da narrativa, a oralidade, adequação ao público-leitor, criatividade e potencial de publicação. Serão apontados os pontos e fracos e fortes da obra, além de comentários do leitor crítico e sugestões de forma geral. Esse profissional é o mesmo contratado pelas editoras para leitura e avaliação dos originais recebidos, o parecerista crítico.

(via O Agente Literário)
 A leitura crítica vai pegar o seu original, depenar, tirar a pele, algumas veias e artérias, talvez até arteríolas e aí te devolverá. Pouquíssimas editoras atuais fazem isso, principalmente com autores novatos, pouquíssimas mesmo, e aí temos livros mal revisados, com erros bizarros nas livrarias e resenhas apontando os erros com prazer. Afinal, não é todo autor que é fodido o suficiente para não pedir revisão do seu livro, não? 

Afinal, só conheço um assim... 

Mas não é todo mundo que é agente literário, não, camarada. Qualquer um é capaz de criar um perfil no twitter, um blog e sair falando que é um agente ou tem uma agência. Se vocês não se lembra, a "Nessie Araújo" tinha uma "editora" só com blog e twitter. Se ela pôde criar uma editora e foder com a vida de muita gente, qualquer menininha pode fazer o mesmo. A questão é: é confiável? É de verdade? Posso apostar a minha grana nisso?

Eu posso muito bem aqui e agora anunciar que eu sou uma agente literária. Porra, é claro que eu posso. Mas vocês acreditarão em mim? Eu tenho formação para isso? Eu tenho um local físico? E-mail personalizado? Um site? Telefone? Fax?

Ou só um twitter e um blog? Acima de tudo: UM BLOG. 

Um blog mal feito. 

Um sinal de que o agente literário é uma farsa é o fato de não ter resultados. Se eu tenho um agente há seis meses e ele não me dá resultados, porra, denuncia esse filho da puta porque ele não existe. Sabe o que é isso? Síndrome de Nessie. Os bastardos virão o quão fácil é enganar autor por aí, graças à Nessie que resolveram atacar de todas as formas. Editora nova querendo o seu livro? Desconfie. Agente literário em nome de uma agência que você nunca ouviu antes querendo agenciar você e o seu livro? DESCONFIE. Tudo o que vem de graça é sinal de farsa. 

Tudo mesmo. 

Eu não vou deixar links aqui de sites de agências porque eu tenho realmente muito mais o que fazer e não faço divulgação de algo que não ganho porra nenhuma. 

Como eu sou muito legal, darei algumas dicas da diva: 

#1 Não é o agente que te acha, você o procura. 

#2 Agente/Agência não te agencia

#3 Não tem site.com ou site.com.br? E-mail é @hotmail @gmail @minhabunda? Não tem informação do dono, dos agentes? Formação acadêmica? Não tem porra nenhuma? Parabéns! Você acabou de ser enganado. 

#4 Foto. Pelo amor de Deus, você negocia com um avatar, uma foto do google imagens ou com uma pessoa? 

#5 O seu livro foi aceito por uma prestadora de serviços e não por uma editora que não te cobra nada? Huum, sinto cheiro de farsa. 

Se você autor, desconfie de tudo, até da sua sombra. Boas intenções são legais, claro que são, mas, meus queridos monstrengos, é delas que o inferno está cheio. Muito cheio.

6 comentários:

Julliana disse...

É mais interessante procurar além de um conhecido, um (ou mais) críticos de renome e bons, se for bom, com toda a certeza você até terá uma divulgação melhor ainda porque, bem, se ele for um crítico influente pode ajudar a divulgar a obra se na resenha disser coisas positivas a respeito do seu livro. É o que eu penso, hmm.

Matt disse...

Ren é um tapa na cara, mas um tapa delicioso, daqueles que agente sabe que merece. *risos*
Enfim, ótimo post, me rendeu algumas risadas pela ''síndrome de Nessie''
ótimo trabalho, leio o blog sempre que posso

Por: Agz disse...

UAHSUAHS é meu bem, está lotado isso sim!


Xo sindrome de Nessie, mais profissionalismo, chega de enganaçAo

Amarulla disse...

Não que eu acredite em Agentes literários sempre, mas também acho válido uma crítica realmente BOA do que você faz. Se esses profissionais fossem ligados as editoras (aliás, nem sei se são LOL mas imagino que não pelo que li) passariam uma impressão melhor. E quem sabe, diminuiria as bizarrices que compramos sem querer.

Mari Sampaio disse...

Rsrsrs! A Nessie te traumatizou, não é?
Gostei da sua crítica. Realmente. Quem tem de batalhar é você. E se for enganado, o problema fica sendo seu, e somente seu. Super beijos!

Mariana Sampaio
Blog Tijolinhos de Papel

Gisele Galindo ou simplesmente Gi. disse...

"Irmãs e irmãos de monstruosidade, como estão? Não respodam, o mundo não se importa."

Vc é ótimaaaa!!!!

Sem mais...

;)

bjs***

Postar um comentário

- Agradecemos a leitura do post e adoraríamos saber a sua opinião.
- Responderemos o seu comentário aqui mesmo.
- Comentários ofensivos/preconceituosos serão deletados.

 
Eu ♥ Livros © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top