Eu ♥ Adaptações: Desventuras em Série

Alô você. Hoje vou falar sobre a adaptação cinematográfica de uma das minhas séries literárias favoritas: Desventuras em Série. Mas antes de falar sobre o filme, quero falar um pouco sobre os livros. E eu vou fazer o máximo possível para realmente tentar falar pouco.

A nem-tão-pequena saga que envolve os irmãos Baudelaire (falarei sobre os personagens mais adiante, se você não os conhece): Violet, Klaus e Sunny e o pérfido Conde Olaf é composta por treze livros (e uma Autobiografia não Autorizada). Pode parecer muito, mas realmente não é. Cada livro tem exatos treze capítulos (o número é bastante simbólico) com pouco mais de 100 páginas. Conforme a história vai chegando ao fim, os livros vão ficando um pouco mais longos, sendo que, o penúltimo é o mais longo com 320 páginas. No entanto, por causa do tamanho reduzido e da diagramação do livro, trezentas e vinte páginas não são muita coisa.

Quando eu li a série, passava apenas algumas horas lendo cada livro. E confesso que é um pouco difícil parar durante a leitura, porque os livros prendem a atenção do leitor de uma maneira absurda. Mas voltando; o que eu mais gosto nos livros é o cenário meio gótico e macabro e a maneira como o autor (Lemony Snicket) relata os fatos de um modo melancólico, excêntrico, único e absolutamente adorável.

Se você não sabe absolutamente nada sobre a obra e se algo do que eu disse sobre essa minha paixão despertou o seu interesse, aqui está a sinopse do primeiro livro:

Caro leitor,
Sinto muito dizer que o livro que você tem nas mãos é bastante desagradável. Conta a infeliz história de três crianças muito sem sorte. Apesar de encantadores e inteligentes, os irmãos Baudelaire levam uma vida esmagada por aflições e infortúnios. Logo no primeiro capítulo as crianças estão na praia e recebem uma trágica notícia. A infelicidade segue os seus passos, como se eles fossem ímas que atraíssem desgraças.

Neste pequeno volume, os três jovens têm que lidar com um repulsivo vilão dominado pela cobiça, com roupas que pinicam o corpo, um incêndio calamitoso, um plano para roubar a fortuna deles e mingau frio servido como café da manhã.

É meu triste dever pôr no papel essas histórias lamentáveis. Mas não há nada que o impeça de largar o livro imediatamente e sair para outra leitura sobre coisas alegres, se é isso que você prefere.

Respeitosamente,
Lemony Snicket.

Essa maneira como o autor retrata a história dos três irmãos na sinopse - de forma bastante melancólica, que me agrada muito por sinal - está presente em toda a obra, em todas as desventuras que os protagonistas enfrentam, que não são poucas. Apenas por curiosidade, o título em Portugal dessa série é: "Uma Série de Desgraças".

Agora, deixando os livros de lado (tendo falhado miseravelmente em falar pouco sobre eles), vamos ao filme. A primeira coisa que você precisa saber sobre a adaptação cinematográfica de Desventuras em Série é que ela consiste nos três primeiros livros da obra, que são: "Mau Começo", "A Sala dos Répteis" e "O Lago das Sanguessugas".

E como toda adaptação, algumas mudanças são necessárias para que o filme não fique muito longo e para que a história dos três livros fique "bem contada" na tela grande. A mudança mais marcante é que o filme possui um final, enquanto nos livros a "série de desgraças" dos três irmãos continua por mais dez livros... Mas isso é suportável.

Durante algum tempo houveram algumas especulações sobre uma continuação do filme, adaptando os três livros seguintes, mas muito tempo se passou e não temos nada, e não esperamos mais nada, também. E agora, antes de prosseguir, vou colocar aqui o pôster e a sinopse do filme (encontrada na contra-capa do DVD):


Caro espectador;
Se você gosta de filmes com coelhos cantando, naves explodindo ou líderes de torcida, você realmente não deveria estar com esse DVD nas mãos. Este é um filme extremamente perturbador, o que em outras palavras quer dizer "uma desventura de suspense envolvendo os três engenhosos órfãos e um ator vilão chamado Conde Olaf (Jim Carrey) em busca da fabulosa fortuna deles".

Isso inclui um incêndio muito suspeito, deliciosas massas, Jim Carrey, sanguessugas de comportamento inconveniente, uma víbora incrivelmente mortífera, Meryl Streep, e a voz de um impostor chamado Jude Law. A única coisa que poderia tornar esse espetáculo uma desventura maior ainda... são os extras, tais como os comentários feitos por mim ou os "erros de gravação" que provocam risos nervosos.

Sinto-me compelido a continuar minhas pesquisas sobre as vidas dos órfãos Baudelaire, mas peço a você que se sinta à vontade para sair em busca de algo menos indigesto, como por exemplo uma caprichada feijoada.

Com o devido respeito,
Lemony Snicket.

Como vocês podem observar, o filme conseguiu passar muito bem a maneira depressiva como o autor conta a história dos personagens (sugiro que confiram o trailer no final dessa postagem também). O início do longa-metragem marca de uma maneira simplesmente hilária esse modo único e "infeliz" do autor de relatar a história, e e se você ainda não viu, veja! Pelo menos esse começo.

Agora, algumas informações técnicas antes de falar dos atores: a adaptação dos três primeiros livros da série é um filme de longa-metragem estadunidense e alemão lançado em 17 de dezembro de 2004, dirigido por Brad Silberling. O filme ganhou o Oscar de Melhor Maquiagem em 2004 e foi indicado nas categorias de melhor direção de arte, melhor figurino e melhor trilha sonora.




Jim Carrey foi indicado ao MTV Movie Awards de 2004 na categoria de melhor vilão. E é aqui onde quero começar a falar sobre os personagens. Para quem não conhece a obra, o Conde Olaf é um parente distante (como todos os outros, aparentemente) dos três irmãos: Violet, Klaus e Sunny. Após um incêndio que acabou com a casa deles, os três foram deixados aos cuidados do Conde, o "parente mais próximo" (o único que mora na mesma cidade deles, pelo menos). O Conde tem um único interesse que é óbvio durante todos os livros e durante o filme também, e mais uma coisa: ele é mal. Simplesmente mal. Ele não mede esforços para conseguir o que quer, e aqui eu tenho um grande problema com o Jim Carrey.

Jim Carrey é um comediante. Sim, ele já fez dramas e suspenses ótimos como "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças" e "Número 23", mas todos nós sabemos que ele é, primordialmente, um comediante. E acontece que a interpretação do Conde Olaf que ele fez foi, na maior parte das vezes, composta de improvisos (fonte: extras do DVD), o que resultou em um vilão maligno (a parte original do roteiro, eu pressuponho) e excêntrico (de um modo cômico, o que não me agradou) - mais cômico que maligno, na minha opinião. Como é um filme destinado a um público mais jovem, eu entendo a "mudança" no estilo do vilão, mas como um fã dos livros, não consigo engolí-la.

Não consigo falar muito sobre a atuação de Carrey sem revelar um pouco do enredo da obra, então acho melhor não falar mais nada e deixar apenas o meu ponto de vista. O ator não conseguiu interpretar o vilão de um modo satisfatório. Pelo menos não para mim. Você pode discordar e achar que ele foi ótimo. Beleza, não precisamos ter um problema por isso. Só estou dizendo aqui que eu não gostei.




Agora, sobre os protagonistas, o que você precisa saber é o seguinte: Violet, a irmã mais velha, é "provavelmente a melhor inventora de 14 anos do mundo". Klaus, o irmão do meio, é um leitor que já leu praticamente sobre tudo e consegue se lembrar de tudo que leu. E Sunny, a mais nova, é uma mordedora. Os três usam os seus talentos para tentar escapar de situações problemáticas (em alguns casos absurdas; o que eu acho que mostra a mente brilhante de Lemony Snicket para conseguir pensar em soluções para tais problemas), e normalmente é tudo uma tentativa de escapar do Conde Olaf.

Eu gostei muito da atuação dos três protagonistas. É claro que eles são bem mais bonitos do que os personagens que eu imaginei enquanto lia as treze partes da série de desventuras, e bem "mais grandinhos" também (exceto a Sunny, que é simplesmente perfeita). Mas hey, Hollywood funciona assim.

Billy Connolly interpreta o Tio Monty, um hepertologista que possui uma coleção de répteis em sua casa. O livro o descreve como sendo "um homem baixinho e rechonchundo de rosto redondo e avermelhado e principalmente gentil e amigável", e eu não tenho nenhuma reclamação para fazer aqui. Meryl Streep interpreta a Tia Josephine, uma viúva medrosa que vive sozinha em uma casa "exótica" à beira do Lago Lacrimoso (onde vivem as sanguessugas) e que é apaixonada por gramática. Eu achei a Meryl Streep simplesmente sensacional no papel da Tia Josephine. A personagem é bastante excêntrica e cômica devido a alguns de seus medos totalmente irracionais, e a atriz conseguiu retratar isso muito bem e... Ah, não tenho palavras.




Alguns outros personagens que aparecem no filme são: Lemony Snicket (Jude Law), o narrador de todas as desventuras; Sr. Poe (Timothy Spall), o banqueiro encarregado de cuidar dos irmãos Baudelaire depois do incêndio; Juíza Strauss (Catherine O'Hara), vizinha do Conde Olaf; um crítico de teatro (Dustin Hoffman), e alguns integrantes da trupe do Conde. Esses personagens possuem papéis bastante secundários no filme, e não tenho nada a reclamar disso também. Nos primeiros livros todos são bastante secundários, então... Tudo certo.

Esse post já está ficando muito grande, então vou encerrá-lo dizendo o seguinte: sou apaixonado por Desventuras em Série, adoro a ambientação gótica da história, de sua originalidade e genialidade (sério, algumas coisas que os irmãos fazem são simplesmente geniais, e eu não tenho outra palavra para descrever isto) e também sou apaixonado pelos personagens marcantes presentes nas desventuras. A única coisa que eu realmente não gostei no filme foi a interpretação de Jim Carrey de um dos meus vilões mais temidos (para não dizer "favoritos" porque isso soa muito sádico).

Como vocês podem observar no trailer, a maquiagem, trilha sonora, cenário e tudo o mais são simplesmente assombrosos, então não tenho o que comentar sobre eles. Não vou deixar críticas de outros sites desta vez, mas vocês podem sempre procurá-las tendo em mente que muitas delas contém detalhes do enredo da obra. E por hoje é só. Bom filme para vocês! E não deixem de conferir o trailer logo abaixo!

8 comentários:

Livia Vieira disse...

Eu li a série inteira e digo que o Jim fez exatamente o conde Olaf que eu imaginei, a unica diferença é que ele é muito mais irônico que maléfico.
Eu acho que se tivesse a adaptação dos próximos livros, seria meio chata pois, na minha opinião, a serraria alto-astral é meio chatinha. Mais o resto daria um ótimo filme. Pena que as atrizes da Sunny estão meio velhinhas agora.
Bj

Luiz Gustavo disse...

Ah, não sei, imaginei o Olaf muito mais maligno. E ele realmente é... Não curti muito o Jim o interpretando, mas ok. Cada um tem a sua opinião :)

Eu também não sei se a continuação seria muito boa. Inferno no Colégio Interno e Elevador Ersatz seriam interessantes de assistir, mas... Não sei, não acho que daria muito certo. Mas agora que os atores já estão grandes, não precisamos nos preocupar com isso 8D

Alice Aguiar disse...

eu imaginei o olaf mais malvado mas gostei mais do filme do que do livro, eu nao cnsegui ler o primeiro livro todo.
foi o primeiro livro q eu abandonei viu

Camila Deus Dará disse...

Eu não li o livro, na verdade nem sabia que existia, mas vi assisti o filme, e achei bem legal...

Ah, adorei seu blog.

http://ninhodefogo.blogspot.com.br/

Luiz Gustavo disse...

O primeiro livro da série realmente não é um dos melhores, mas sabe como é, o primeiro livro é sempre a "apresentação" de tudo, então é sempre meio chato. Mas os outros livros são ótimos, eu altamente recomendo a leitura... E os livros não são muito grandes, também. Nada que um pouco de esforço não resolva :D

Luiz Gustavo disse...

O filme é muito bom, mas eu acho os livros espetaculares... Tem umas situações nas quais os três irmãos conseguem escapar que NOSSA. E eu não tenho outra palavra para a genialidade deles e do autor, hehe.

Anônimo disse...

Os livros são os melhores que já li;P - digo sem me preocupar. O filme creio que deixou um pouco a desejar, mas ao mesmo tempo fiquei contente que ao decorrer do mesmo há poucas passagens fora dos 3 primeiros volumes, quase imperceptíveis. E aviso, só por curiosidade que Lemony Snicket tem também um livro chamado "The Beatrice Letters" que como devemos saber é a mulher que ele dedica os livros Desventuras, tal livro é realmente muito interessante, já que são cartas originais, inclusive com a letra de Beatrice e de Daniel. Quem se interessar.. Não me segurei haha Ótimo blog e excelente postagem. Parabéns!
Natália Savassi

Giovana Bertoncini disse...

O filme é infantil por isso a comédia eu amei a série toda e como vi antes de ler fiquei com a impressão que ele seria comédia mas no 1 já havia notado que não.Eles deviam continuar mesmo mas se tivesse até o 13 seria um filme de mistério e não infantil.Relatou bem a história,curti mas Lemony Snicket é um personagem e não o escritor.

Postar um comentário

- Agradecemos a leitura do post e adoraríamos saber a sua opinião.
- Responderemos o seu comentário aqui mesmo.
- Comentários ofensivos/preconceituosos serão deletados.

 
Eu ♥ Livros © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top