Eu ♥ Mangás: Rurouni Kenshin - Nobuhiro Watsuki



O Blog agora está cheio de novidades, entre elas está sessão que será voltada apenas para mangás - conhecidos ou desconhecidos - que eu, Carine, geralmente leio. O que não impede vocês leitores de me indicarem seus mangás favoritos para eu falar aqui mais pra frente.
No meu primeiro post escolhi uma história que me influenciou mais do que qualquer outro para começar a ler mangás, animes e assuntos desse genero. Rurouni Kenshin: Meiji Kenkaku Romantam(Kenshin, o Andarilho - Crônicas de um Espadachim da Era Meiji) O Mangá foi criado por Nobuhiro Watsuki e originalmente foi publicado na Shueisha Weekly Shonen Jump de 11 de abril de 1994 à 4 de novembro de 1999 e todo o trabalho rendeu 28 volumes completos de uma linda história. O mangá foi publicado no Brasil em maio de 2001 pela Editora JBC. A história foi publicada em 56 volumes sendo que cada volume brasileiro correspondia a meio volume japonês. No início o mangá era mensal e a partir do volume 5 passou a ser quinzenal atér ser concluído no ano de 2003. Ainda pela JBC houve outras publicações como “A Sakabatou de Yahiko” em 10 de julho de 2004 durante o evento Anime Friends em São Paulo. Em 2004 a editora também lançou o Kenshin Gaiden, uma enciclopédia que mostrava todas as fases da série.

A série se passa nos primeiros anos da Era Meiji no Japão, e conta a história de Himura Kenshin um pacato andarilho que abandonou a vida de espadachin e a alcuna de Battousai, o retalhador após a reforma do Bakumatsu prometendo assim nunca mais retirar uma vida.
Em uma de suas andanças Kenshin conhece Kamya Kaoru, uma jovem instrutora de Kenjutsu do estilo Kamya Kasshin, que persegue um assassino auto-intitulado o Battousai e que mata pessoas pela cidade usando o nome e o estilo de seu falecido pai.
O espadachim ajuda a garota a limpar o nome e o estilo que herdara de seu pai resolvendo então fazer uma pausa em suas andanças e se fixar no Dojo Kamya Kasshin para ajudar Kaoru. Porém, o passado de retalhador não o esquece e Kenshin se vê obrigado a usar sua espada contra velhos e novos inimigos.

Anime: O mangá a foi adaptado para anime pela Galope Estúdio , Studio Deen e SPE Visual Works e foi ao ar no japão no dia 10 de janeiro de 1996 à 8 de setembro de 1998. O anime chegou ao Brasil através da Columbia Pictures e teve exibição na Rede Globo até perto do ano 2000, onde várias cenas foram cortadas, vários episódios pulados e sem a exibição do último capitulo.
A série se passa durante os primeiros anos da Era Meiji, onde Kaoru encontra um Samurai andante chamado Himura Kenshin. Mostra também o início do romance entre eles e, como no mangá, a perseguição que Kenshin sofre por todos os anos que serviu como Hitokiri em busca da reforma politíca do Japão. O anime conta com 94 episódios e um especial. A série animada conta com três temporadas: a primeira com 27 episódios contando a saga de Tokyo, seguidos pelos episódios em Kyoto com a saga de Shishio que vai do episódio 28 ao 62. Os episódios restantes do 63 ao 94 não são baseados no mangá original, sendo fillers criados pelo estúdio. Em 2006 foi lançado o episódio 96 como um complemento do episódio 95 que consiste em uma faixa de três minutos onde Kenshin aparece na engawa refletindo enquanto Kaoru cochila na varanda, em seguida se passa as cenas de costura que mostra que anos se passaram e Kenji tem sua primeira aparição. O filho de Kenshin e Kaoro aparece brincando no jardim enquanto é observado pelos pais já com aparência mais madura. Este é o final definitivo autorizado pelo Nobuhiro Watsuki para o seu maravilhoso mangá.

A série ainda conta com um filme: Rurouni Kenshin: Ishin Shishi no Requiem. Neste filme Kenshin se mete em uma briga de marinheiros para ajudar uma garota e acaba por conhecer Shigure Takumi, um homem amargurado pela perda de um grande amigo e que acaba beirando a insanidade em sua sede de vingança pelo assassino de seu amigo o Hitokiri Battousai.


Rurouni Kenshin ainda conta com um conjunto de OVA’S que dispõe de um conteúdo mais adulto, sem as tipicas piadinhas e sim tratando da seriedade da época e dos acontecimentos. São elas:

Rurouni Kenshin Tsuioku Hen, que conta o início da saga de Kenshin desde o menino que atendia pelo nome de Shinta até o dia em que ele adquiriu a cicatriz em forma de “X” na bochecha. E, o segundo conjunto de OVA’S, o Rurouni Kenshin: Seisouhen, conta os acontecimentos 15 anos depois do término da série de TV ter terminado. Nela Enishi, o irmão mais novo da primeira esposa de Kenshin, reaparece em busca de vingança pela morte da irmã.

Estas histórias carregam todo um traço diferente, além da abordagem a seriedade de Kenshin e de sua memória constantemente pesada pelas vidas que tirou. Está última OVA não é uma das minhas favoritas e, mesmo que Nobohiru Watsuki tenha dado cartão verde para que o Kazuhiro Furuhashi escrevesse e dirigisse as OVA, Watsuki deixou bem claro que aquele não era o final que ele desejava para o seu andarilho e que o que vale de verdade é o final do mangá e da série. Eu particularmente agradeço por ele ter deixado esta parte clara, por que o final das OVA deixa uma insinuação de que Kenshin nunca foi realmente feliz ao lado de Kaoro e que nunca esqueceu Tomoe, sua primeira esposa. O autor deixa claro o seu desejo pela felicidade tanto de Kenshin quando a de Kaoru. E para terminar meu poste totalmente gigantesco e paga pau de Rurouni Kenshin vamos falar das novidade sobre ele depois de tantos anos de espera! No final do ano passado tivemos a feliz noticia sobre o relançamento dos mangás, agora em volume completo. Rurouni Kenshin: Crônicas da Era Meiji foi lançado em novembro de 2012, é lançado mensalmente e já tem 4 volumes lançados no Brasil. E, por último e não menos importante, em dezembro de 2012 tivemos o lançamento do Live Action de Rurouni Kenshin. O filme teve muitas mudanças feitas em relação ao anime e ao mangá. Coisas que deve, de alguma forma, ter incomodado aos fãs de carteirinha como eu, mas devo admitir com humildade que o filme é espetacular e que com todas as mudanças existentes conseguiu me fazer apaixonar por Kenshin Himura e por todos os personagens outra vez.
O filme dirigido por Keishi Otomo é estrelado por Takeru Satoh e Emi Takei, duas estrelas bem populares no japão. O filme centra-se basicamente nas histórias ficiticias contadas no mangá, que ocorre durante o início da Era Meiji no japão. Links para você baixar o anime e filme: Anime para baixar: http://centraldeanimes.com.br/downloads/samurai-x.html http://www.hinata.xpg.com.br/paginas2/index.php?page=klauss/kenshin.html Ou assista Online: http://www.anitube.jp/categories/121/Samurai-X Filme para Download: http://www.tokusatsus.com.br/2012/12/rurouni-kenshin-live-action-movie-2012.html Como o mangá foi traduzido e publicado pela JBC, não há mangá para baixar na internet em português, mas existe uma loja que faz vendas online e é de extrema confiança. Segue o link da loja para quem se interessar: 


http://lojajambo.com.br/?s=rurouni+kenshin&x=-836&y=-293 Espero que tenham gostado e até semana que vem!
Beijos Cari <3

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá, eu costumo acompanhar sempre o blog e acho ele ótimo, mas esses dias eu estive reparando que há muitas postagens sobre mangás.

Não que isso seja ruim, as vezes é bom dar uma diversificada; porém acho que com isso o blog foi perdendo a característica principal: os livros.

Querendo ou não, livros e mangás comunicam a história de maneiras bem diferentes. E se as pessoas que visitam o blog quisessem ler coisas de mangá, iriam pra lugares mais adequados, como o Chuva de Nanquim, por exemplo.

Eu sempre passo por aqui pra dar uma lida nas reviews de livros (o que me faz descobrir escritores ótimos) e não tenho visto isso ultimamente. Só coisa de mangá.

E pra piorar, com link pra baixar episódios, o que eu acho meio absurdo vindo de um blog onde se divulga os trabalhos de escritores nacionais e em virtude dessa divulgação, também se fala sobre direitos autorais e tudo mais.

Espero que a crítica seja construtiva e sirva pra vocês que administram a página, refletir se essa nova seção está mesmo de acordo com o trabalho que vocês mesmas fazem e eu acho lindo.

Carine Hoffmann Dresch disse...

Boa Tarde Anônimo!

Eu sei que tem aparecido muitas postagens sobre mangás, postagens que eu mesma faço, mas o Blog está passando por mudanças. As postagens de mangás tem sido mais volumosas por que eu tenho meus posts adiantados e os outros setores ainda estão em construção.

Eu concordo que Mangás e Livros tem sua abordagem diferenciada das coisas, porém mangá também é um tipo de leitura e nós a apoiamos de todos os lados seja em livros, mangás, jornais ou HQs.

Os posts sobre livros com certeza continuarão, mas creio que os de mangá vão andar juntamente com eles.

Um abraço.

Postar um comentário

- Agradecemos a leitura do post e adoraríamos saber a sua opinião.
- Responderemos o seu comentário aqui mesmo.
- Comentários ofensivos/preconceituosos serão deletados.

 
Eu ♥ Livros © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top